Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Análise e revisão: Mandalorian S02 Chapter 16: The Rescue

Filipe Lopes, 26.12.20

É verdade, 8 episódios e 3 revisões no blog, aqui estou mais uma vez para falar do último episódio da segunda temporada.

E que temporada esta, que deu uma nova vida a personagens esquecidas, lançou outras para spinoffs já em produção pela Lucasfilms e deu aos fãs aquilo que eles tanto precisavam desde a saída da mais recente trilogia de filmes. A magnífica nostalgia que atingiu um pico máximo, que vou abordar mais à frente. Esta análise vai conter spoilers importantes não só sobre este episódio, mas também do que está para vir no mundo de Star Wars. Por isso, se ainda não viste, vai ver e volta quando acabares.

Após o final de The Believer, sabíamos que Mando levaria a batalha até à nave onde Moff Gideon tinha na sua posse o pequeno Grogu. Logo no princípio do episódio, ficamos a saber que, como previsto por mim no post anterior, a força de assalto seria composta por Mando, Boba Fett, Cara Dune, Fennec, Bo-Katan e Koska, com estas duas ainda à procura do Dark Saber, o qual Mando utiliza como razão para se aliar às duas mandalorians.

E a partir do momento em que a ação começa nunca mais para. Somos presenteados com Star Wars como já não víamos há muito tempo, desde a saga original arrisco-me a dizer. Batalhas espaciais entre TIE Fighters e a Slave 1, tiroteios entre a armada feminina contra a frota de Stormtroopers e até mesmo o confronto de Mando com um Dark Trooper, que nos trouxe momentos fortes e angustiantes, dando a entender ao espectador o quão letais e perigosos são esses novos servos do império.

Perto do final, e após já termos assistido a grandes confrontações, ação e tudo do melhor que o episódio tinha para nos dar, chegamos ao ponto chave em que Mando, para resgatar Grogu das garras do tirano Gideon, tem de enfrentá-lo com o seu Dark Saber. Sendo a sua armadura e a mais recentemente adquirida lança feitas de beskar - um do poucos metais que consegue fazer frente aos light sabers -, esta é a receita certa para a grande batalha em que após tudo, Mando consegue finalmente derrotar Gideon e resgatar Grogu em segurança.

No entanto e quase a parecer um final feliz, já todos no cockpit da nave, eis que existe uma reviravolta: o exército de Dark Troopers, que tinha sido injetado para o espaço, estava de volta. Tendo visto o que apenas um fizera e a dificuldade de mando para o derrotar, era o fim. Não havia volta a dar: estavam encurralados, não havia escapatória. Até que… nos radares, é captado um sinal. Um X-Wing, apenas um… quem seria? E de que forma apenas um X-Wing poderia ajudar contra os poderosos Dark Troopers?

Foi aqui que todos os fãs começaram a pensar: Será? É possível? Não, eles não faziam isso, não pode ser. E então, o espetáculo começa, através de uma edição perfeita: com imagens a partir das câmaras do cockpit vemos um jedi que destrói e derrota os Dark Troopers com uma facilidade tremenda, dominando o sabre e o uso da força. O plano muda e se dúvidas havia, ficaram desfeitas: o light saber verde e a luva não davam margem para engano, era mesmo Luke Skywalker, ali em carne e osso, em ação, no seu prime pós Return of the Jedi (“I am a Jedi, like my father before me”). Numa homenagem aos minutos finais de Rogue One, em que Darth Vader mostra todo o seu poder como Sith Lord, aqui Luke demostra todo o seu poder destruindo os Dark Troopers, um a um, deflectindo os tiros dos blasters, usando a força e o seu light saber em todo o seu esplendor, arte e beleza como nunca antes vistos. E a verdade é que as emoções não acabaram ali, para terminar temos uma cena de levar qualquer um às lágrimas, entre Grogu e Mando, na qual este tira a máscara para revelar pela primeira vez as suas feições ao pequeno que prometeu proteger durante toda esta jornada. Ah e temos também o R2D2, porque não? Já está bom, só pode ficar melhor.

E aquele final? O quê? Acaba assim? Então e o Gideon? Então e o Dark Saber e a Bo-Katan? Pois é, para isso teremos que esperar pela 3ª temporada, marcada para o início de 2022.

Depois disto tudo, e para os mais distraídos, a fazer lembrar os bons filmes da marvel no grande ecrã, temos uma cena pós créditos dando um cheiro do que está para vir em mais uma série, desta vez centrada em Boba Fett, denominada The Book of Boba Fett que sairá em dezembro de 2021.

Ainda me estou a tentar recompor deste episódio, que foi das melhores coisas que vi há muito tempo em televisão. Já não me sentia assim desde que me sentei no cinema e ouvi o início da banda sonora para o The Force Awakens, e que sentimentos, que sentimentos!

Após este culminar só me resta esperar que todas as séries, mini séries e filmes anunciados sigam o mesmo rumo que The Mandalorian tomou e voltem a deixar as pessoas que gostam de Star Wars felizes e com algo por que ser nerd. E sim, eu sei o que estão a pensar: mas não serão muitas séries? Talvez, mas se até agora está a correr bem, eu confio no Jon Favreau e no Dave Filoni para serem o Kevin Feige do universo Star Wars.

 

Avaliação:10/10

 

Análise e revisão: Mandalorian S02 Chapter 15: The Believer

Filipe Lopes, 15.12.20

Um prelúdio para o que vai acontecer no episódio final da temporada, The Believer volta a trazer-nos uma personagem já da primeira temporada interpretada por Bill Burr: Mayfeld, o antigo atirador furtivo ao serviço do Império, que virou mercenário e, após o episódio 6 da primeira temporada, está preso pela federação galáctica como prisioneiro 34667.

Devido à sua ligação ao Império, Mayfeld é a pessoa indicada para ajudar Mando, Boba, Fennec e Cara na procura por Moff Gideon, na tentativa de salvar Grogu das mãos do temível tirano, que quer fazer experiências e pode pôr em risco a vida do pequeno personagem.

Com tudo em jogo, e já no último recurso, Mando terá que quebrar algumas regras e fazer sacríficos para atingir o objetivo. Conseguirá a missão ser bem-sucedida e o objetivo cumprido, ou os sacríficos e as consequências irão longe demais e será tudo perdido?

Perfeita introdução para o episódio final, não revelando quaisquer indicações do que está para vir. Será que mais aliados se irão juntar a Mando? Terá desta vez Gideon a palavra final, saindo vitorioso?  Ficaremos finalmente a saber quem ele serve? Sexta teremos todas as respostas, tudo para discutir e analisar aqui no blog, a não perder.

Avaliação:7.5/10

Revisão Anime: Attack on Titan

Filipe Lopes, 13.12.20

Olá caros leitores, depois de 2 revisões sobre Mandalorian, que irão continuar até ao fim da temporada, hoje é dia de vos trazer a revisão de uma das minhas grandes paixões, os anime. Mais precisamente Attack on Titan, que voltou para a sua 4ª e última temporada no passado domingo. E sim, eu sei que o título do blog é Filmes e séries do Filipe, mas para mim, animes são nada mais do que séries com outro nome.

Designado de shonen - anime para um público mais jovem e adolescente -, Attack on Titan retrata um futuro apocalíptico em que a humanidade foi atacada por seres gigantes com formas humanas, os Titãs, que comem as pessoas e destroem tudo por onde passam. De forma a sobreviver e resistir, a humanidade refugiou-se dentro de grandes muralhas, criando uma nova sociedade, com o objetivo de derrotar e recuperar novamente a terra que lhes foi roubada.

A narrativa centra-se à volta de um rapaz, Eren Yeager e a sua irmã adotiva Mikasa Ackerman, que vêem a sua mãe ser devorada à sua frente por um titã novo e diferente dos outros, mais forte e inteligente, que consegue derrubar parte da muralha. Após já ter perdido o seu pai por razões estranhas envolvendo o aparecimento inicial dos Titãs, Eren jura que vai treinar para destruir todos os titãs do mundo e libertar a humanidade da sua prisão das muralhas de pedra.

Marcada por personagens fortes, sequências de batalha épicas aéreas devido às técnicas usados pelos humanos na luta contras os Titãs, e voltas e reviravoltas constantes na história, com segredos bem guardados que vão dando uma nova perspetiva sobre o que é bom e mau, o que está certo ou errado, Attack on Titan é um anime que vos vai deixar agarrados e a salivar pelo próximo episódio para poderem saber para onde nos leva a história.

Se não és de animes, ou achas que isso é mais para crianças, talvez tenhas aqui uma boa introdução a uma história complexa cheia de personagens, histórias e plots que vão provar que há muitos animes iguais ou tão bons como uma grande série. E eu prometo trazer mais revisões para vos adoçar a curiosidade.

Avaliação: 8.5/10

 

Análise e revisão: Mandalorian S02 Chapter 14: The Tragedy

Filipe Lopes, 08.12.20

Episódio que começa imediatamente depois dos acontecimentos vistos anteriormente, com Mando já em direção ao planeta indicado por Ahsoka, no qual vai tentar entregar Grogu a algum jedi que consiga terminar o seu treino nos ensinamentos na força.

Por breves momentos temos a felicidade de Grogu com Din Djarin na sua viagem dentro da Razor Crest, para segundos depois sermos atacados com o título do episódio “A tragédia”. Depois da emoção, batalhas, coreografia e personagens apresentados no último episódio, pensei que seria impossível ser superado. A verdade é que isso aconteceu mesmo.

Introduzido em The Empire Strikes Back, Boba Fett sempre foi a personagem mais mítica e que mais dúvidas deixava aos fãs, pois apareceu tão depressa como desapareceu nos desertos de tatooine. Famoso por ser o mais feroz e temido caçador de recompensas da galáxia, tem finalmente a sua redenção. E que redenção, posso dizer.

Como previsto e já teorizado na revisão anterior, “A tragédia” chega por parte de Moff Gideon, que através do sinalizador na nave de Mando, localiza este e Grogu, com o objetivo de raptar o bebé que já despertou os seus poderes na força. Será que Boba Fett, Mando e companhia vão conseguir proteger Grogu? Ou conseguirão Gideon e o seu Dark Saber levar a melhor? Neste que, como o anterior, foi dos melhores e mais interessantes episódios da saga, em termos de lore e fan service.

Com o final cada vez mais próximo, e a qualidade da escrita de Favreau que se vê que percebe muito de Star Wars, não posso estar mais ansioso por saber onde este final nos leva e o que está para vir na já anunciada 3ª temporada.

Análise e revisão: Mandalorian S02 Chapter 13:The Jedi

Filipe Lopes, 03.12.20

Hoje e como primeira análise/revisão, trago-vos o mais recente episódio de The Mandalorian uma série disponível todas as sextas no serviço de streaming da Disney, o Disney +.

Este foi talvez um dos episódios mais importantes e impactantes na saga Star Wars, desde que há um ano Jon Favreau escreveu e realizou o primeiro episódio daquela que seria uma das séries mais vistas na fall season de 2019 e 2020.

Intitulado de The Jedi, provavelmente a palavra mais conhecida de toda a saga, temos a introdução na narrativa da personagem de Ahsoka Tano, uma personagem inicialmente introduzida na série de animação The Clone Wars e posteriormente em Star Wars Rebels, que agora teve a sua primeira aparição fora da animação interpretada pela atriz Rosario Dawson.

Neste episódio obtivemos algumas revelações importantes que nos responderam a questões apresentadas ao espectador no primeiro episódio, em que mando encontra o “baby yoda” como uma das recompensas de uma das muitas missões como bounty hunter, bem como algumas informações sobre um possível futuro da história seja com novos inimigos que o Mando poderá enfrentar, ou a criação de uma nova série original para a personagem apresentada.

Episódio consistente, com boa cinematografia, apresentando uma mistura perfeita de western com Mando como pistoleiro mais rápido da galáxia, e os clássicos japoneses samurais, no quais os jedi foram baseados.

Ficando a faltar 3 episódios para o final da temporada, e com Din Djarin na sua jornada em descobrir e entregar o baby yoda aos seres da sua raça, é de esperar a aparição surpresa de Moff Gedeon e o seu Dark Saber para nos revelar mais das suas intenções.

 

 

 

 

Um bom conselho recebido recentemente.

Apresentação e ideias iniciais

Filipe Lopes, 01.12.20

Olá cinéfilos e cinéfilas, queria começar este meu primeiro de muitos posts, por agradecer a uma pessoa especial que me falou deste mundo dos blogs, no qual vou poder falar, partilhar e trocar ideias sobre este tema que me é tão especial e importante que são os filmes e as séries.

Sou o Filipe, tenho 26 anos e sou apaixonado por tudo o que envolva o mundo do cinema ou séries. Desde a realização, fotografia, guião, personagens, som, bandas sonoras, tudo. E com este blog quero partilhar este meu gosto com vocês.

Podem esperar revisões de filmes, sejam eles recentes, ou clássicos que deviam ter mais atenção. Tops de diferentes géneros, análises detalhadas ou apenas uma simples anotação de porque razão deviam perder aquela tarde de sábado ou domingo na companhia daquele filme.

Ao nível das séries, podemos ter análises e opiniões sobre algumas já completas, temporadas (principalmente se forem netflix), ou mesmo episódio a episódio daquelas mais importantes e interessantes para a minha própria pessoa.

Vão se mantendo atentos e de olho, porque a primeira análise está para breve e será sobre uma série que mais me vem surpreendendo este ano com a sua segunda temporada. E vá vou dar uma pista, envolve sabres de luz e neste caso “bebés” verdes.

E nunca se esqueçam uma série ou um filme por dia, dá a todos muita alegria.