Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Revisão série: Peacemaker

Filipe Lopes, 21.02.22

Hoje apresento a revisão à mais recente série no mundo da DC, do conhecido James Gunn, que surgiu como spinoff de uma personagem inicialmente apresentada na sua versão da Suicide Squad, Peacemaker, que podem ver na HBO Max.

A série acontece imediatamente após os acontecimentos passados em Suicide Squad e acompanha a personagem Peacemaker – interpretada brilhantemente por John Cena - que é recrutado para se juntar a uma equipa que trabalha nas sombras na descoberta dos mistérios envolvidos na operação nome de código “Borboleta”.

Com a presença de personagens secundárias fortes, que não servem apenas para suportar o Peacemaker, mas sim para completá-lo, James Gunn apresenta novamente uma história na veia daquilo em que ele é mais forte, semelhante a Guardians of The Galaxy que envolve um grupo de renegados a salvar, neste caso, também o mundo.

Vigilante, Eagly, Judo Master, e mesmo o vilão White Dragon, são algumas das personagens sonantes e nomes mais conhecidos dos fãs que podem ser encontrados ao longo dos 8 episódios. Caso ainda não conheçam nenhum destes nomes, bem, então é ver até ao fim para que, enquanto espectadores mais atentos e fiéis seguidores, sejam presenteados com uns bons cameos que vos vão fazer gritar (de alegria).

Já renovada para uma segunda temporada, com uma narrativa forte, empolgante e em crescendo até ao culminar no episódio final, além de uma das melhores intros de séries de sempre – estes são elementos mais que suficientes para te convencer a começar a assistir.

Avaliação: 9/10

Revisão série: Lúcifer

Filipe Lopes, 08.02.22

Pois é, acho que é a primeira vez que trago assim uma revisão um pouco diferente. Neste caso, não apresento uma série que estou a ver neste momento, ou que tenha visto uma temporada recentemente e ainda tenha continuação. Hoje trago a revisão da já terminada série Lúcifer.

Inicialmente estreada em 2016 na Fox, baseada na personagem da DC da linha Dark Horse, a série acompanha a vida de Lúcifer Morningstar, o diabo que decide deixar o inferno e fazer a sua vida entre os humanos na cidade do pecado Los Angeles.

Após um episódio piloto que nos agarra à narrativa pela envolvência e principalmente pelo carisma de Lúcifer, interpretado na perfeição por Tom Ellis, a série na superfície segue um plot típico. Polícias com caso da semana, formato popularizado por CSI e que despoletou uma onda de muitas séries semelhantes.

À superfície uma série policial com o Diabo, que tudo tinha para ser mais uma, rapidamente provou que seria algo mais. Além dos casos policiais que Lucifer ajuda a resolver, ao longo das suas 6 temporadas, a série foi muito além disso, trazendo ao telespectador os aspetos do mundo religioso católico. Incorporando personagens bíblicas, como os anjos e demónios, é consequentemente uma análise e introspetiva da humanidade como um todo, sendo Lucifer o centro de tudo.

Após ser cancelada pela Fox ao fim de 3 temporadas, os fãs, com muita insistência nas redes sociais, conseguiram que a plataforma Netflix comprasse os direitos e tiveram a oportunidade de assistir a mais 3 temporadas de alta qualidade, que culminaram num final digno e, em muitas perspetivas, feliz para a personagem que no final do dia é o filho de Deus, que foi banido e se tornou no diabo, rei do inferno.

Se achas que esta série não é para ti, dá uma oportunidade, pois ela está cheia de personagens cativantes, histórias profundas e um elenco de luxo que deixaram uma muito boa série que será para ver e rever.

Avaliação: 9/10