Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Filmes e Séries do Filipe

Viciado e apaixonado por filmes e séries, com objectivo de partilhar e discutir este pequeno vício com mais nerds iguais a mim.

Revisão Filme: Black Panther: Wakanda Forever

Filipe Lopes, 14.12.22

É chegado finalmente o momento. Uma das reviews que tenho vindo a adiar escrever e publicar aqui no blogue, a tão aguardada sequela do enorme sucesso do MCU - nomeado para oscar de melhor filme - temos Black Panther Wakanda Forever, novamente realizado por Ryan Coogler.

Como já era sabido, este filme, para além de ser a sequela a um dos filmes com maior impacto social e cultural dos últimos anos, ficou também marcado pela morte precoce da sua estrela principal, Chadwick Boseman. E com isto, toda a história teve de ser mudada e adaptada para comportar o trágico acontecimento. Ficando a pergunta "terá estado Coogler à altura do monomental desafio?" Na maior parte, eu diria que sim. Apesar de não ter concordado com o rumo de algumas personagens, no geral foi feito o que melhor se podia dadas as circunstâncias.

Wakanda Forever introduz ao MCU a personagem de Namor, o primeiro mutante da Marvel, que aqui é apresentado como vilão. Desde Loki e Thanos, não me lembro de um vilão tão bom, complexo e do qual entendemos bem as sua motivações - como se costuma dizer, um filme, principalmente de comics, é tão bom quanto a qualidade do seu vilão. Com Namor é também introduzida a sua cultura, mundo e nação, muito ao nível do que foi feito no primeiro Black Panther. A Marvel, num golpe de mestre, consegue mais uma vez introduzir um novo mundo cultural e com impacto que aumenta e aprofunda a diversidade e inclusão que os seus filmes têm trazido.

No que diz respeito ao herói propriamente dito, este filme lida com a perda do Black Panther com pinças e demonstra o processo de luto, tanto das personagem como dos próprios atores, e até mesmo de nós, o público. Na verdade, a maior parte do filme é passada sem a personagem do Black Panther aparecer no ecrã, estando guardada para o terceiro ato a revelação de como e quem será o sucessor do recente desaparecido T'Challa.

De um modo geral, para mim este foi dos melhores filmes da "phase 4", e apesar dos mais longos, eu não dei pelo tempo passar, o que indica que estava bem estruturado e conseguiu manter-se interessante e cativante ao longo das quase 2 horas e 40 mintos. De realçar também os créditos iniciais da Marvel, que aqui foram editados para prestar homenagem a Chadwick Boseman, e a igualmente tocante e emotiva cena pós-créditos, que deixa não só a história num final super satisfatório, mas também com um interesse forte para o futuro da saga.

Avaliação:8.5/10